fungicida-fungos-doenca-mancha-aureolada-antracnose-doencas-pdf-colletotrichum-coffeanum
Curiosidades

Antracnose no Cafeeiro: O que é Esta Doença e como Combater

É uma delícia provar um café saboroso, sem amargor e baixa acidez, mas para que isso acontece o grão passa por muito coisa até chegar na sua mesa.

Para garantir um café de qualidade e uma boa safra, entre os muitos cuidados com a fruta, o agricultor precisa ficar atento com as doenças que atacam os cafeeiros, como é o caso da antracnose.

O que é antracnose?

A antracnose é uma doença que ataca a árvore de café e ela está presente em praticamente em quase todas as regiões de cafeicultura.

Por conta disso, o tipo e sua intensidade varia de local para local.

Na África, é considerada a doença mais grave do cafeeiro.

A responsável por prejudicar o cultivo do café é o Colletotrichum coffeanum, que foi descrito no Brasil pela primeira vez em 1902.

Porém, a boa notícia é que a variante mais agressiva dessa doença ainda não está presente no Brasil, mas se encontra em grande volume no continente africano.

Quais são as espécies mais afetadas pela antracnose?

Infelizmente, todas as espécies de café estão propensas a sofrer com a antracnose, mas duas em específico são as mais afetadas: a coffea Arábica e a Coffea canephora.

Quais são os sintomas de antracnose no Café?


Nas flores, o primeiro sintoma visível da antracnose são manchas ou listras em tom castanho escuro e ficam sobre o tecido branco da pétala.

A flor é contamina e morre em pouquíssimo tempo depois.

Já nos frutos verdes o primeiro sinal da doença vem de uma em manchas escuras, que podem aparecer em qualquer parte da fruta.

Assim que o fungo penetra no grão, este fica preto, ressecado e eventualmente apodrece/morre.

Nos frutos já maduros quando atacados pela doença ficam pretos, mas ainda permanecem no galho do cafeeiro por muito tempo.

Existe ainda um quarto tipo de contaminação, mas está acontece apenas na parte externa da planta e ainda não se sabe ao certo como ela aconteceu – provável por baixas temperaturas e/ou períodos muitos secos.

Forma-se uma lesão de cor pálida que se assemelha a sarna.

Mas, infelizmente, a antracnose pode atacar toda e qualquer área do cafeeiro.

Como a doença se prolifera?

A doença pode acontecer de duas formas: pela germinação dos conídios, que formam os apressórios e estes entram mais facilmente no tecido do cafeeiro.

A segunda, que é de curta distância, ocorre por meio da chuva ou vento, onde os conídios são levados por esses dois.

Restos infectados da safra anterior também contribuem para a proliferação da antracnose.

Como tratar antracnose no cafeeiro?

Os inseticidas do tipo cúpricos mostram bons resultados ao combater o antracnose no café.

Ele reduz a produção do fundo sobre os ramos do arbusto.

Outra vantagem desse inseticida é que ele também elimina a ferrugem, outra doença muito comum entre os cafeeiros.

É recomendando que este item seja usado do início ao fim da estação chuvosa.

É possível igualmente usar chlorotalonil, tiabendazole e hidróxido de trifenil para combater a antracnose.

Estes são fungicidas protetores.

Conclusão

Parece fácil, mas cultivar café da um certo trabalho.

Mas no final das contas vale a pena, principalmente para os coffee lovers.

Referência:

https://ilfattoalimentare.it/caffe-ruggine-fungo-coltivatori-su-america.html